terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Intrínseco




Pense em psicodelia cubista ao som de garage rock, surrealismo com cultura underground e  caos urbano, tudo dentro de um liquidificador sem tampa num porão sujo. Intrínseco. Fora de qualquer convenção, a essência dos personagens aqui transmitem fragmentos  de crenças e vícios do ser urbano, emitindo o que há de mais puro e bizarro em  nossa existência através de pinturas e ilustrações que permite  ao expectador permear por esse universo perturbador de anomalias, freaks, dor e paranóia.
Por Carolina Faria